Pimentada



A edição de hoje aborda dois assuntos. Um deles é quanto às vítimas de acidente que são encaminhadas a Manaus e precisam de atendimento apropriado como avião UTI. Contudo isso nem sempre acontece e nessa semana, um paciente com fratura exposta teve que se submeter a uma viagem de barco, após um acidente de trânsito. Na certa, uma viagem de barco até Manaus quando se está bem de saúde já é cansativa, imagine pra quem tem que ficar horas e horas imóvel, mesmo assim, há quem diga: mas ele procurou, agora arque com as sequências! Porém, não podemos esquecer que o cidadão paga impostos justamente para que, quando tiver necessidade de recorrer aos órgãos municipais, tenha retorno e usufrua da empregabilidade dos recursos, mesmo que seja em uma hora difícil, ou será que faltou sensibilidade por parte dos órgãos competentes para pôr o jovem em um avião UTI? Outra questão é quanto a buraqueira das ruas nos Itaúnas. O povo se juntou e escreveu frases chamando a atenção do poder público municipal, afim de que trabalhos de melhorias nas ruas sejam realizados, pois os moradores já não aguentam mais, tanto descaso. Diante dessas situações nos perguntamos: cadê os “representantes” do povo que deveriam agir em favor da comunidade, pois de discursos defasados a população já está cheia, mas na certa, espera atitudes que realmente sejam executadas.

Jornal Gazeta Parintins – 06/02/2014
_________________________________________________________________________________



Uma das problemáticas iminente que atinge o Brasil, é também uma realidade de Parintins, afinal pertencemos a este país. Estamos falando da gravidez na adolescência que, segundo um estudante de medicina, que atende em UBSs locais, o número de meninas grávidas no município é elevado. A pergunta diante de tal situação é a seguinte: o que fazer para amenizar um problema que atinge muitas famílias em Parintins, principalmente as de baixa renda? Para o futuro médico, a massificação de campanhas preventivas pelos órgãos públicos (postos de saúde, escolas e demais) poderia ajudar no combate a gravidez de meninas que muitas vezes ainda nem estão com o corpo preparado para conceber um filho. Diante disso, vimos crianças gerando crianças, sem a mínima noção do tamanho da reponsabilidade que terá que assumir, sem falar dos riscos durante a gestação e na hora do parto, e como esquecer o pai dessa criança que em muitos caos é outro adolescente. Em Parintins, vimos distribuição de preservativos intensivamente nas ruas em épocas do Festival e Carnaval, o que deveria ser feito o ano todo, no mais, a responsabilidade dos pais também é fundamental na orientação dos filhos, afinal, o combate a essa “nuvem negra” que assola a cidade, deve acontecer por meio de políticas públicas sim, mas não tira a responsabilidade da família para impedir esse problema social.
  
Jornal Gazeta Parintins – 23/01/2014
_______________________________________________________________________________
A família do cidadão que morreu no HPC após ser atropelado por uma motocicleta, chama a atenção por meio de um relato. Um filho da vítima cita que, se o hospital disponibilizasse atendimento especializado para muitos casos, o pai talvez ainda pudesse estar vivo. É triste ver o sentimento de impotência diante dessas situações, onde o cidadão paga impostos e quando necessita de atendimento se depara com um sistema público péssimo. Mais triste ainda, é ouvir em tantos veículos de comunicação que se dizem “porta voz” da sociedade parintinense, distorcendo informações afirmando que tudo estar perfeito na cidade. O fato é que houve mais um caso de acidente em Parintins, que segundo o cidadão, se o hospital oferecesse atendimento especializado a morte poderia ter sido evitada. Outro assunto que diz respeito a este caso, é a imprudência de condutores, fato este que a vítima, que simplesmente tinha saído para comprar pão como fazia todos os dias foi morto de forma trágica. Como um indivíduo que consome bebida alcoólica, chega ser tão irresponsável a ponto de colocar vidas em risco? É bom que este caso seja de fato investigado para que não fique como tantos outros, que o acusado por tal ato, comete a imprudência, e depois paga não sei lá quantos salários mínimos e fica solto, e diante disso, a vida não acaba valendo nada!

  
Jornal Gazeta Parintins – 20/01/2014
_______________________________________________________________________________


A ausência de representantes do município e de demais entidades na Audiência Pública realizada sábado, na Vila Amazônia, para tratar sobre a questão do aterro controlado que seria instalado no local, demonstra toda a “preocupação” em resolver o problema.  A resposta das centenas de moradores presentes durante o encontro foi dada e a decisão deles é contrária a implantação do aterro na área que já estaria previamente escolhida pela prefeitura de Parintins. No entanto, eles estão à espera do representante maior do município para dialogar e apontar uma possível área onde não causaria danos ambientais aos moradores, nem a fauna e flora da região. Outra proposta que eles pedem por meio de um Abaixo Assinado, é que em contrapartida a área apontada por eles para o aterro, o governo municipal leve melhorias a gleba na questão de segurança, infraestrutura dentre outras. Para o promotor André Seffair, é mais fácil a prefeitura dar a comunidade o que está sendo exigido, pois assim o problema da lixeira chegaria ao fim e todos acabariam ganhando. Dessa forma, que a gestão municipal analise as propostas e faça o melhor pela “Parintins dos Nossos Sonhos”, só assim, um problema que se arrasta há anos poderia chegar ao fim!

 Jornal Gazeta Parintins – 13/01/2014
__________________________________________________________________________


É triste ver a situação que passam os moradores dos bairros Dejard Vieira, João Novo, Pascal Allágio e estudantes da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Em momentos, eles realmente não conseguem respirar com tanto fedor que exala daquela mentira que o pessoal da prefeitura insiste em chamar de Aterro Controlado. Pelo que vimos os responsáveis pelos serviços, perderam completamente o controle da coisa que se tornou como as pessoas dizem: um verdadeiro “Lixão a Céu Aberto”. Por causa da falha nos trabalhos de recobrimento do lixo no local, a área fica infestada de urubus, moscas, marrecas, teo teos, garças e pombos e outros bichos que disputam os restos de comida que ficam ali ao relento atraindo também ratos, cachorros e outros animais. Está na hora do Município parar de ir para os meios de comunicações e tentar ludibriar o povo dizendo que tudo está as mil maravilhas, porque o povo está atento e não se deixa mais enganar com mentiras. A situação da Lixeira Pública é lamentável e, as autoridades precisam também sair do discurso e procurar agir para que seja tomada as providências necessárias. Afinal, já foram gastos no local alguns milhões e não dá pra ficarem mentindo que resolveram, quando a realidade é completamente diferente. Isto é, muito dinheiro foi gasto e pouca coisa foi feita. E as imagens não mentem!


 Jornal Gazeta Parintins – 09/12/2013
_____________________________________________________________________________




Pode parecer repetitivo, mas enquanto medidas não forem tomadas para melhorar o trânsito “louco” de Parintins, não podemos fechar os olhos e fingir que nada está acontecendo. Nesse fim de semana, dois pais de família morreram após um acidente de trânsito e seis crianças, três de cada, vão sofrer a ausência do pai em virtude da imprudência e da irresponsabilidade. Com certeza, o fato será pauta nas sessões da Câmara Municipal, e demais setores públicos, porém, os discursos ficam impregnados nas paredes dos prédios, enquanto isso, Parintins vai afundando cada vez mais no problema, mas nenhuma solução é tomada. No entanto, não estamos para achar culpados para um problema que se arrasta há anos, mas, se alguém já estivesse feito alguma coisa talvez fatos tristes como esses pudessem ser evitados. Em contra partida, se houvesse educação no trânsito, e responsabilidade de muitos condutores que saem por aí brincando nos volantes de carros e direção de motos causando perigo àqueles que se preocupam, com certeza, muitas mortes que acontecem no trânsito parintinense poderiam ser evitadas, porque de nada adianta, trânsito municipalizado, cidade sinalizada, se não houver consciência dos maiores responsáveis que são os condutores.


 Jornal Gazeta Parintins – 09/12/2013
______________________________________________________________________________  


Parintins é palco da maior festa folclórica do Brasil e de tantas outras manifestações que engrandecem esta Ilha e enche de orgulho quem vive, quem chega e quem a escolhe para viver. Porém, é fato que em meio a tudo isso, existe contradições quanto aos problemas que a cidade enfrenta e a violência é apenas uma delas. Todos os fins de semana acontecem roubos, furtos, e pessoas são vítimas dos mais diversos crimes. Tráfico de drogas, violência no trânsito, exploração sexual, são outras situações que a capital do Folclore vive. Nesse fim de semana, duas pessoas foram vítimas da violência e correm sérios riscos, pois tiveram a saúde fragilizada. Apesar de todas as tentativas das polícias em pôr atrás das grades essas pessoas que vivem praticando o mal, não é suficiente para se colocar um ponto final quando se trata da violência na cidade. Mediante a isso tudo, os maus elementos não só aqui, mas de modo geral, encontram brechas nas leis brasileiras, que muitas vezes ficamos na dúvida sem saber de que lado estão essas leis, se do lado do cidadão de bem ou de quem comete atrocidades diante da sociedade, mas voltando a falar da nossa cidade, infelizmente, “essa não é a Parintins dos nossos sonhos”, ou que queremos!

Jornal Gazeta Parintins – 18 de novembro de 2013     
_______________________________________________________________________________




Mais uma vez a ação das polícias de Parintins é um aviso aos traficantes de plantão e a todos os adeptos desse “mundo” que impera na realidade brasileira, o crime do tráfico e afeta muitas famílias infelizmente. Como diz o velho ditado: “pra bom entendedor meia palavra basta” e que a prisão dos quatro integrantes da “bocada” seja um alerta para os demais que tentam continuar no comércio ilegal dos mais variados tipos de drogas em Parintins.  Segundo a chefa do grupo, ela que trabalhava como doméstica e cansou dessa vida, resolveu atuar no ramo (tráfico) para não ver os filhos sofrerem, por outro lado, as crianças vão sofrer do mesmo jeito ou mais ainda, porque agora, ela está presa e quem vai dar de comer aos pequenos? Se ela estivesse trabalhando dignamente como doméstica como fazia, poderia estar muito bem, sem tentar ganhar dinheiro fácil porque a polícia já estava de olho nela e não deixou barato. Olha no que deu a preocupação com os filhos, agora a “chefona” vai para o presídio onde ficará a disposição da justiça. No entanto, o delegado acredita que tem “bacanas” alimentando o tráfico em Parintins, e seria muito bom se a verdade viesse a tona, infelizmente, a corda acaba arrebentando do lado mais fraco e alguns acabam pagando o “pato” sozinhos.

Jornal Gazeta Parintins – 14 de novembro de 2013         
_________________________________________________________________________________
                          

Indignada com tantos casos de roubos e furtos que acontecem em Parintins, a população já não aguenta mais tanta ousadia, daqueles que ficam a espreita para agir de má fé nas ruas, muitas vezes armados em plena luz do dia. Por isso, um indivíduo que roubou uma senhora que caminhava livremente com a filha de um ano e meio no colo, foi alvo de pancadas e só não aconteceu o pior com ele, porque, conseguiu escapar e se escondeu na casa de uma senhora, que mesmo interrompendo que o “cidadão” fosse linchado, não escapou de ser alvo do ladrão. O acusado, na tentativa de se livrar da prisão, alega que a família estava passando fome, e que a cidade não oferece trabalho. Pode até ser, mas quantas famílias passam por necessidade e nem por isso, saem por aí roubando e cometendo crimes contra as pessoas de bem. Quem sabe se essa pessoa fosse em busca de pelo menos limpar um quintal, a situação da família não estaria diferente e ele poderia estar muito bem livre para encontrar meios de ajudar a família, mas não roubando, e sim através de um trabalho honesto. Por outro lado, os maus elementos que se cuidem, pois a população começa a fazer justiça com as próprias mãos.

Jornal Gazeta Parintins – 07 de novembro de 2013
_____________________________________________________________________________



Uma denúncia contra um professor de que ele estaria praticando abuso sexual contra meninas de uma escola localizada na agrovila do Caburi, chegou a redação do jornal.  Uma das vítimas chegou a relatar que o acusado, estaria praticando o crime contra uma das colegas há mais de um ano e ainda citou, como o professor a tentou intimidá-la, caso contasse o fato a alguém. Segundo a denúncia, oito meninas teriam sido abusadas pelo professor que já foi transferido para Parintins, onde vai esperar o resultado do inquérito administrativo afastado da sala de aula. Preocupada com a situação e no intuito de evitar que outras crianças se tornem vítimas do homem em questão, a tia de uma delas, pede que o caso seja resolvido, pois, só assim, será possível que outras garotas não se tornem vítimas de abuso sexual, e ainda disse mais, transferindo ele, de escola sem afastá-lo das atividades, estariam também transferindo o problema para outras meninas. É um fato lamentável, mais em Parintins infelizmente se vivencia situações desse tipo. No entanto, o caso deve ser investigado e se confirmada a denúncia, que a justiça seja feita em prol dessas crianças e dessas famílias que não querem nada mais que a punição pelo crime, só assim é possível combater esse mal que nem mais as escolas estão livres.


Jornal Gazeta Parintins – 04 de novembro de 2013
____________________________________________________________________________


Moradores do beco Aldamir Farias localizado na rua Coronel Barreto Batista, bairro São José Operário, pedem do poder público municipal consertos na ponte por onde todos os dias passam ou a construção de uma nova. Eles alegam que a ponte precisa de reparos, pois a estrutura está podre, e várias tábuas também já quebraram, devido o local todo ano ficar de baixo d’ água com a enchente do rio Amazonas. A maior preocupação é com idosos e crianças. Também informam que pessoas já caíram no local e ficaram com ferimentos graves e algumas hospitalizadas. A indignação maior é que em toda época de eleição, a área é visitada, os moradores são vistos e abraçados, promessas são feitas e ninguém se importa em passar na ponte mesmo caindo aos pedaços, porém, depois que passa, os eleitos nem se quer “dão as caras”. Enquanto isso, o povo envia requerimento aos setores “competentes” e convivem diariamente com o problema, mas, sem obter nenhuma resposta. A situação é triste, mas infelizmente, a comunidade que se “encheu de esperanças” com os rumos que a cidade tomaria, fica sem saber a quem recorrer. Mesmo assim, não custa nada a secretaria de obras dar uma passada no local e verificar a situação, não só averiguar, mas acima de tudo solucionar o problema, afinal os moradores não aguentam mais a insegurança e a precariedade da ponte.

Jornal Gazeta Parintins – 10 de outubro de 2013
___________________________________________________________________________


A morte de Karina Fonseca, 17, possivelmente após consumir tucumãs contaminados com Carbureto de Cálcio, comoveu parintinenses. Uma jovem que tinha um futuro brilhante pela frente, mas após quatro dias de dor e sofrimento, não resistiu. Por conta dessa suspeita de contaminação, a Vigilância em Saúde do município resolveu agir, foram às feiras recolher os tucumãs numa verdadeira operação de guerra para mostrar serviço, mas será mesmo que é preciso morrer alguém de forma trágica para que ações e atitudes, sejam tomadas? Será também que só há contaminação por carbureto nos tucumãs e não em outras frutas? Será que os feirantes recebem alguma orientação quanto uso do produto? A maioria dos feirantes são pais de família, trabalhadores e agem com responsabilidade e querendo ou não por teimosia e ganância de uma minoria, todos acabam “pagando o pato”. Como se não bastasse, a família acusa negligência médica do Hospital Jofre Cohen, sentiram e presenciaram da pior forma o descaso e o desrespeito com que são tratados os pacientes naquela unidade. Por conta disso, para que outras vidas não sejam ceifadas por incompetência e irresponsabilidade de um sistema padrão “SUS”, a família vai a justiça para que a morte da jovem não seja mais uma impune. Como diz o jornalista Boris Casoy “ISSO É UMA VERGONHA!”, mas, é a realidade da saúde pública de Parintins e de todo o Brasil. Não concordam? E se fosse com alguém da sua família?

Jornal Gazeta Parintins – 29 de Agosto de 2013

______________________________________________________________________________


Este espaço é determinado para abordar os fatos que acontecem no intervalo de uma edição para outra, e o que não falta é assuntos que dizem respeito a comunidade. No entanto, os questionamentos, injustiças, violências e fatos que prejudicam a sociedade parintinense ganham destaque, porque não nos calaremos enquanto for preciso e nem diante de situações desumanas. A violência impera na sociedade em geral de uma forma absurda que muitas vezes nos perguntamos onde vamos parar? As respostas nem sempre são positivas muito menos animadoras, pois, casos trágicos acontecem um atrás do outro e a sociedade vai se “deflagrando” como se a vida do ser humano não valesse nada! Pessoas se acham no direito de tirar a vida do próximo por motivos torpes como acompanhamos através dos meios de comunicação, infelizmente essa é a realidade das cidades brasileiras, sejam elas grandes ou não. Neste fim de semana, uma pessoa foi assassinada dentro da própria casa o que fez crescer o índice de violência na cidade, porém, que esse e outros crimes não fiquem impunes e os culpados sejam de fato punidos, a final de contas, nenhuma pena por mais longa que seja, não traz a vida de volta!

Jornal Gazeta Parintins – 19 de Agosto de 2013
_______________________________________________________________________________


Enquanto a Câmara Municipal de Parintins homenageia com sessão especial o Hospital Regional Jofre Cohen pelos serviços prestados a comunidade parintinense, duas pacientes alegam falha no atendimento na naquela unidade de saúde. Uma que teve problema com um recém-nascido, afirma que mesmo após o aparelho onde o filho dela estava apresentar um início de incêndio retiraram o equipamento, porém nenhum procedimento imediato foi realizado no bebê que segundo ela inalou fumaça que saiu do equipamento. A outra alega que não foi bem atendida, por alguns profissionais de saúde do hospital e atribui a atitude por ser de uma cidade vizinha. Porém, mais um ato comprova que Parintins é mesmo a terra do contrário. Enquanto o presidente da Câmara Municipal convoca os companheiros para a sessão especial em homenagem a unidade de saúde, a população sofre com a demora no atendimento, profissionais que muitas vezes atende de mau gosto, (claro que não são todos) falta de médicos, em fim são inúmeras situações que os “nobres representantes” do povo deveriam ver e estão deixando passar em branco!


Jornal Gazeta Parintins – 01 de Agosto de 2013
______________________________________________________________________________

Moradores do bairro Pascal Allágio, onde iniciou a construção das casas do programa “Minha Casa Minha Vida” um programa do governo federal, denunciam que as casas estão sendo saqueadas em Parintins. Pra quem não lembra, o local foi alvo de invasão no início do ano quando pessoas que diziam não ter um lar para morar se apossaram das casas, mas por meio de uma ordem judicial tiveram que deixar o local. O certo é que a “história” dessas casas é velha, pois, pelo tempo que começou a construção já deveriam estar prontas e muitas pessoas que não têm onde morar e que se encaixam dentro do plano de moradia do governo bem que poderiam estar desfrutando de uma casa própria.  Porém, o que se vê, é o descaso tanto dos que depredam quanto dos poderes federal, estadual e principalmente municipal, por ser o que mais conhece a realidade do parintinense, o que deixa claro a irresponsabilidade do cidadão que depreda e dos que gerem a verba pública já que as moradias estão inacabadas. Com isso nos perguntamos: onde estão os vereadores que foram eleitos para fiscalizar o executivo municipal? Afinal de contas, o caso dessas casas se arrasta há anos na cidade e o povo espera no mínimo, atuação daqueles que se intitulam seus “representantes”.

Jornal Gazeta Parintins – 22 de Julho de 2013
_____________________________________________________________________________

Em qualquer situação, ou seja lá quem for o autor de crimes contra crianças que se configurem em crime de exploração sexual, os fatos são lamentáveis e fica o alerta às autoridades que defendem os direitos da criança para que não fechem os olhos diante de tais situações. Mais triste ainda é quando esses casos são praticados por parentes como, irmãos, pais, primos, padrastos e como se não bastasse pelos professores. Diante disso, as crianças continuam sendo as maiores vítimas, pela fragilidade de defesa e pelo trauma que permanece durante a vida. “Professores” que cometem esse tipo de crime, não merecem o respeito da sociedade, pessoas em quem muitas vezes os pais confiam e que o próprio estudante cria uma relação, acaba prejudicando não só fisicamente uma criança, mas o que é pior, o psicológico que muitas das vezes, a luta por uma recuperação é mais difícil e demorada, afinal de contas, sonhos e desconfiança se misturam e a batalha para tentar amenizar o sofrimento das vítimas deve ser constante. Por outro lado, que as leis que amparam as crianças, sejam de fato efetivadas quando elas sofram qualquer tipo de violência e que os culpados sejam em fim punidos como realmente merecem.

Jornal Gazeta Parintins – 15 de Julho de 2013
___________________________________________________________________________

A manifestação realizada na manhã de ontem na esquina da rua Antônio Meirelles com a rua Messias Augusto no bairro Itaúna I, e as reclamações que se ouve nos quatro cantos da cidade enquanto as mazelas da atual administração, é a prova que o população despertou, ou está cansada dos desmandos dos políticos em Parintins. Tomara que os vereadores também atentem para isso, pois já que não dá para entender o por quê da falta de atitude dos Edis. Se é que os senhores não se lembram, vai um lembrete que entre suas funções está a de fiscalizar os atos do prefeito, de seus secretários e encaminhar as reivindicações da população para a Prefeitura. E em nossa cidade isso claramente há muito tempo não é feito. Então senhores vereadores o que está acontecendo para que vocês estejam calados? Antes que me digam que é por causa da recessão, já vou dizendo: bem antes vocês já não diziam nada. Está na hora de acordarem e fazer o papel pelo qual o povo que os elegeram, lhes confiaram, que é de ser os representantes e defensores deles. Então senhores, comecem a fazer seus papeis!!!

Jornal Gazeta Parintins – 08 de Julho de 2013
______________________________________________________________________________


Alguém duvida que a morte do pequeno Emanoel Adriano Coelho da Silva, de 4 anos de idade, não foi uma fatalidade e sim uma irresponsabilidade da gestão pública? Bem, já que os moradores daquela área afirmam que ao perceberem o perigo que o buraco cheio d’água representava às crianças, pediram ao na época prefeito Bi Garcia e no início deste ano reiteraram o pedido ao atual prefeito Alexandre da Carbrás, e os dois mandatários do município nada fizeram, então, realmente o caso não foi uma fatalidade. Tá certo que com menino todo cuidado é pouco, mas, se o buraco não fosse aberto, ou pelo menos tivessem colocado uma proteção (tapume) no entorno, Emanoel talvez não caísse dentro, assim não teria morrido. Desse ponto de vista, a irresponsabilidade dos dois mandatários causou a tragédia. Agora com certeza o atual gestor deve correr e mandar fechar o buraco, ou pelo menos cerca-lo. Mas como diz o ditado, agora é tarde demais, pois a vida do pequeno Emanoel se foi. Outra coisa, sabemos que se houver vontade, a Promotoria Pública de Parintins pode encontrar culpados, e para isso é só querer. Mas até lá, mesmo que fechem, o culpado vai ser o buraco. Ele não fala mesmo! fazer o quê!!!


Jornal Gazeta Parintins – 01 de Julho de 2013
_________________________________________________________________________________

Um incêndio em uma residência no bairro Paulo Corrêa, na manhã do dia 30, só não teve maiores consequências, graças à ação de moradores próximos do local e dos Bombeiros que chegaram depois.  Para tentar ajudar o dono da casa em chamas, eles jogaram água para que o fogo não se propagasse para outras moradias evitando dessa forma, uma possível tragédia. Porém, o pior de tudo é que os Bombeiros foram acionados e ao tentar chegar no local do incêndio, o carro não teve condições de prosseguir, não por falta de gasolina ou de vontade dos profissionais, mas, devido a buracos e lamas que tomam conta da rua do incidente. O dono da casa desabafou dizendo que Parintins, não merece estar com as ruas intransitáveis, o que tem fundamento, parece que o canteiro de obras que Parintins se tornaria, ainda vai demorar pra acontecer, enquanto isso, a população se depara com canteiros, mas, de buracos, dificultando o trânsito em quase todas as ruas e bairros.

 Jornal Gazeta Parintins - 03/06/2013
_______________________________________________________________________________



Em meio a centenas de pessoas que participaram da manifestação na tarde de ontem, o que chamou atenção foi à presença de muitas pessoas que foram vistas pulando, gritando e abraçando o prefeito Alexandre da Carbrás, na carreata da vitória, na noite de 7 de Outubro quando também comemoravam o aniversário do homem. Ontem eles gritavam muito, mas o que ouvimos não pode ser citado. Outra coisa, observou-se à presença dos assessores de imprensa da prefeitura tentando captar a imagem dos rostos dos participantes, não sei porquê, mas se a atitude foi para tentar inibir a turma, não deu certo. De tudo isso, deve ficar a lição para o prefeito Alexandre buscar meios e profissionais capacitados para elaborar projetos que beneficiem o povo, e sem dúvida, pelo número de presentes que o prefeito verá nas imagens, alguma cobrança ele deve fazer a seu secretariado. Ter projetos que venham beneficiar o povo é a melhor maneira de evitar novos manifestos.


 Jornal Gazeta Parintins - 30/05/2013
____________________________________________________________________________

Os casos de violência na cidade continuam. O fim de semana foi marcado com denúncias de agressão contra mulher, quando um idoso mantinha a esposa refém, e ainda chegou a ameaçá-la de morte com um revólver, porém, a Lei Maria da Penha está aí, para resolver casos dessa natureza. Apesar de todas essas situações, é comum acidentes envolvendo crianças em frente das escolas, nas ruas onde há buracos, fora os transtornos em virtude das águas que sobem com certa rapidez em muitos pontos da cidade. O desrespeito de muitos condutores com os moradores na área alagada da rua Paraíba, deixa a situação mais lamentável.  Como se não bastasse, o transtorno que a água causa na vida dessas pessoas, quem passa nos carros, não tem a mínima decência de diminuir a velocidade, e dessa forma, joga água para dentro das residências aumentando ainda mais o sofrimento de quem permanece nesses locais porque não têm para onde ir. Portanto, não custa nada ser mas humano e ter mais respeito ao próximo, afinal, não se paga nada por isso!

 Jornal Gazeta Parintins - 27/05/2013
_______________________________________________________________________________

Ouvimos, nos meios de comunicação da Ilha, que as pessoas moradoras das áreas baixas da cidade estão sendo assistidas pelo município através da Defesa Civil. Representantes municipais afirmam, nas entrevistas, que as famílias das áreas de risco estão recebendo ajuda e nas ruas alagadas existem pontes. Mas ao atendermos chamados dos moradores dessas áreas, o fato fica evidente ao ver pais e mães andando entre as águas poluídas, expostos a perigos, para permitir aos filhos a frequência às aulas. Isso é trágico! Mas em meio ao desespero de centenas de famílias, uma coisa chamou atenção na manhã de ontem. Centenas de pessoas devem ter ouvido a entrevista na qual o prefeito afirmou que este ano vai realizar a melhor Festa dos Visitantes dos últimos tempos. Então, a pergunta que não quer calar: Não seria a hora de ajudar os que sofrem ao invés de priorizar a festa? Sendo assim, se o assessorado municipal não estiver dando conta de elaborar projetos em prol dessas famílias, contrate pessoas capacitadas, pois não dá paraficar parado diante do sofrimento dessas pessoas desassistidas pelo público municipal!

Jornal Gazeta Parintins - 23/05/2013
______________________________________________________________________________


A bola da vez é o caso de uma criança estudante do Centro educacional Infantil Alvorada que os pais foram a Semed e em seguida a direção da escola pedir que a instituição não fale em Deus ao referido aluno.  Até aí tudo bem! Como pais que não acreditam, eles têm o direito de exigir que a criança em questão não seja influenciada, porém, esquecem que o local é público e há outras crianças de pais que com certeza acreditam em Deus. Não queremos aqui entrar em méritos de religião ou crença, mas será que: ao exigir que algo seja feito para beneficiar a minha vontade, não estou esquecendo ou desconsiderando o desejo de outras pessoas?  O pedido a escola em nome do direito do filho, não está desmerecendo o direito de outras crianças e privando meninos e meninas de demonstrar sua crença? O assunto não deixa de ser polêmico, mas precisa ser pensado, afinal, diz respeito à sociedade em geral, e que estes pais estejam tão preocupados para que essa criança seja uma pessoa do bem como estão em não deixá-la ouvir os ensinamentos cristãos, essenciais para a vida como outro qualquer!  É uma questão de direito, mas acima de tudo de respeito ao outro!

Jornal Gazeta Parintins - 15/04/2013
________________________________________________________________________________

Não é a primeira vez que falamos deste assunto, mas enquanto os acidentes continuarem em Parintins vamos continuar chamando a atenção de todos os que estão ligados ao trânsito na Ilha. Muito se falou em municipalizar o trânsito na cidade, o tempo passou e nada aconteceu. Com a morte das duas pessoas na semana passada vítimas de acidentes fatais, o assunto volta a ser pauta e esperamos que algo aconteça de fato. Porém, enquanto isso pessoas continuam a morrer. Sabemos que as condições de sinalização e outros procedimentos que cabem aos órgãos competentes para melhorar o trânsito no município precisam ser executados, mas, se quando tudo estiver funcionando se isso um dia chegar acontecer, será preciso que os condutores respeitem e sejam menos imprudentes, afinal, a maioria das mortes no trânsito em Parintins acontece devido imprudências de acordo com a Polícia Militar. Não podemos esquecer que em uma cidade no porte de Parintins onde se chega de bicicleta a qualquer lugar têm aqueles que desafiam a própria vida e põem em risco a dos outros, portanto, se não houver conscientização pelos condutores teremos ainda que presenciar fatos lamentáveis como os que aconteceram na semana passada.

Jornal Gazeta Parintins - 18/02/2013
_________________________________________________________________________________


Mais um fato mostra que Parintins realmente é a terra do contrário. Como todos na cidade sabem, as ruas estão cheias de buracos, dificulta o trânsito e pode ocasionar acidentes caso que já aconteceu quando um cidadão de moto se acidentou devido um buraco deixado pelas pessoas que estão recapeando as ruas com o “tapa buraco”. Os trabalhos precisam ser feito, pois do jeito que as ruas se encontram não podem continuar. Porém, informações chegadas à redação do jornal dão conta que muitos condutores (as) querem passar no momento em que os trabalhos estão sendo executados. Por outro lado, se não estivesse acontecendo os serviços de recuperação, haveria com certeza reclamação do mesmo jeito. Com isso, pedimos que sinalizem as ruas onde os trabalhos no forem concluídos, principalmente em locais com pouca iluminação, pois, a falta de sinalização já ocasionou acidente, no entanto, os serviços precisam ser realizados, afinal, todos serão beneficiados. 

Jornal Gazeta Parintins - 04/02/2013
_____________________________________________________________________________

Enquanto não se constrói o novo presídio em Parintins, os presos se rebelam e realizam motins. Na terça-feira houve uma tentativa de rebelião na Unidade Prisional o que acarretou a transferência de presidiários para Manaus e Itacoatiara. De acordo com eles, as causas foram as de sempre: alimentação de má qualidade, demora na agilidade de processos e a precariedade na estrutura física do local. É de conhecimento da comunidade que esse velho problema está aí, e tudo que se comenta é a construção de uma nova Unidade Prisional, porém, a falta de terreno parece ser o maior empecilho para que o projeto se torne realidade. Enquanto isso, a expectativa para que o Programa Ronda nos Bairros chegue a Parintins cresce, pois a população não aguenta mais tanta violência. Por outro lado, como bem disse o promotor André Seffair: “parece brincadeira trazer o programa” sendo que o presídio não tem condições de abrigar os que ali estão que dirá os que ainda serão presos através do Programa. Agora, existem àqueles que têm a oportunidade de refazer a vida fora da cadeia, mas parece que gostam tanto de lá que fazem de tudo para retornar, aí como diz o ditado popular, “quem procura acha”!

Jornal Gazeta Parintins - 31/01/2013
________________________________________________________________________________


O que é mais engraçado ou nos leva a pensar com relação à decisão das pessoas que invadiram as casas populares e demais áreas no bairro Pascal Allágio é que, nas proximidades há um número elevado de motos de todos os tipos para quem alega não ter condições de comprar uma casa ou um terreno para construir uma, o que chamou a atenção de curiosos. As inquietações a respeito disso é que: será que essas famílias não têm mesmo como conseguir um terreno sem precisar invadir terras alheias? Sabemos também que muita gente não tem realmente casa ou terreno, mais, mesmo em meio às dificuldades trabalha dignamente para ter um teto. O pior nisso tudo é que geralmente os invasores são os mesmos que já estiveram em outros locais usando os mesmos argumentos de que não têm condições de conseguir uma moradia.  No entanto, são pessoas que se aproveitam de ação indevida e pouco depois de conseguir o que querem, vendem o terreno e ficam a espera de uma nova invasão, sem contar que os problemas que essa prática acarreta são muitos. Dessa forma, as autoridades devem tomar medidas para que se encontrem os verdadeiros responsáveis que segundo informações são políticos que estão por traz de ações dessa natureza, enquanto isso, quem paga o “pato”, é apenas o cidadão comum.


Jornal Gazeta Parintins - 25/01/2013
_______________________________________________________________________________


Um cidadão que atende pelo apelido de “Mathuvelho” que aparentemente apresenta um distúrbio conhecido como inimputável (pessoa que não responde pelo ato que comete) foi parar na cadeia pela segunda vez, flagranteado por estupro. O primeiro caso de acordo com a delegada foi contra a própria prima, o recente, contra uma senhora de 101 anos de vida. O fato é que muitas pessoas da comunidade conhecem o acusado aparentemente inofensivo, porém, muitas ocorrências contra ele, estão registradas na delegacia de Parintins, a maioria por roubos. Apesar de todas as ocorrências contra o flagranteado, a delegada informa que não tem um laudo médico que comprove qualquer distúrbio mental que o classifique como tal e, se não for comprovado, o mesmo pode pegar apenas oito anos de prisão. No entanto, para uma pessoa capaz de se defender dizendo que entrou na casa da mulher somente para roubar e não para estuprá-la é suspeito que não seja capaz de responder pelos atos que comete, então, é melhor que os procedimentos necessários para tal descoberta seja feita, afinal, até que se prove o contrário à população está à mercê de atos violentos.

Jornal Gazeta Parintins - 17 de Janeiro de 2013
_______________________________________________________________________________



Engana-se quem pensa que na cidade Parintins só existe violência ou o maior espetáculo a céu aberto do Brasil. A cidade que outrora viveu dias de fartura, como contam antigos moradores, hoje abarca a pobreza e até podemos dizer a miséria e outros problemas sociais. Quem amarga com essa triste realidade são pessoas marginalizadas. É só sairmos nas ruas que nos deparamos com situações de extrema pobreza, gente esquecida pela família, amigos, e pela sociedade em geral. Imaginemos que para quem tem uma casa para morar a situação muitas vezes não é boa, muito menos para quem vive ao relento propenso a sol, chuva, doenças e a violência impetrada na sociedade. Infelizmente essa é a realidade brasileira, onde os direitos básicos assegurados na Constituição Federal passam longe ou ficam no esquecimento. A disparidade social está nas esquinas dos grandes centros urbanos e já atinge a Ilha Tupinambarana. A verdade é que em um país rico onde poucos ganham muito, milhares vivem em situações desumanas.  

Jornal Gazeta Parintins - 10 de Janeiro de 2013
________________________________________________________________________________

Nos fins de ano sempre nos deparamos com filas em frente aos Centros Educacionais infantis da cidade. De acordo com muitos pais, o motivo é o medo de não conseguir uma vaga para os filhos, e as crianças fiquem sem estudar. Porém, com o fim do mandato do prefeito anterior e o início de governo de outro, parece que o pessoal que está nas filas ainda vai ter que ficar exposto a sol e a chuva por mais alguns dias. O anúncio de que as matrículas devem acontecer de 14 a 18 de janeiro será que vai fazer alguém desistir. O certo é que as coisas estão ainda se ajustando com as novas secretarias e é cedo de mais para fazer exigências. Esperamos que tudo se resolva e que nenhuma criança fique fora da escola por causa desses transtornos burocráticos que acontecem todos os anos. Contudo, em Parintins não é diferente de outros lugres do Brasil onde parece que tudo só deve ser resolvido à base das intermináveis filas.

Jornal Gazeta Parintins - 07 de Janeiro de 2013

_______________________________________________________________________________



A sociedade em geral vive dias difíceis com a violência constante no cotidiano do cidadão. Famílias choram a perda de entes queridos e muitas crianças não têm a sorte de conviver com o próprio pai sendo que a crueldade lhes tira esse direito. Um fato que comprova isso é do parintinense assassinado em Manaus no último sábado com um tiro na cabeça, Cleuton Ferreira Fradeque deixou quatro crianças órfãs. A família da vítima pede justiça para o caso, e quer que o autor do disparo pague pelo crime. Cleuton morreu após defender o sobrinho de 14 anos de um assalto. Segundo a família, ele tinha o esporte como uma de suas paixões, e incentiva os filhos e sobrinhos a praticarem. Enquanto aguarda que a justiça seja feita, a família também tem que conviver com a espera e a agonia de que o culpado fique no lugar onde deve estar, ou seja, na cadeia, fato que não apagará a tristeza, mas, pode aliviar a dor que estão sentido. Portanto é hora da justiça agir, se não, é mais um caso que ficará impune! 


Jornal Gazeta Parintins - 27 de Dezembro de 2012
________________________________________________________________ 

Na tarde de ontem, o senhor Manoel Quintino Melo, 57, foi mais um pai de família em Parintins que sentiu na boca e no coração o gosto amargo da violência que milhares de Ilhéus que tem filhos viciados, ou envolvidos no mundo das drogas, vivem em nossa cidade. Ele afirmou não aquentar mais ver o filho fumando e vendendo entorpecente, e em uma atitude desesperada, chegou a feri-lo. O cidadão também afirmou ter criado o filho com muito carinho, e que sem condições, perdeu dois filhos para o famigerado mundo das drogas, e sem que os governos encontrem meios para conter, continua destruindo muitas famílias.

Jornal Gazeta Parintins - 03 de Setembro de 2012
_________________________________________________________________________________

E as loucuras praticadas no trânsito parintinense continuam fazendo vítimas. Na noite de terça-feira passada, por volta de 23:40, dois jovens, cada um em uma Biz, praticavam Racha de um lado para outro na Rua Paraíba. Um cidadão que não tinha nada a ver com a irresponsabilidade dos dois elementos, acabou sendo atingido por uma das motos dirigida por um dos jovens. O que mais se ouvia no momento em que os PMs chegaram ao local, era que prendessem os culpados, e que os policiais fizessem rondas para impedir as corridas que constantemente são vistas no local, inclusive duas moças, velhas conhecidas dos frequentadores dos lanches da área vermelha da Praça dos Bois, também já foram vistas praticando as mesmas ações.

Jornal Gazeta Parintins - 23 de Agosto de 2012
__________________________________________________________________________________

O cidadão que estava com visíveis sintomas de embriagues e causou o acidente onde feriu gravemente duas pessoas na esquina das Ruas Paraíba e Uiacurapá, além de ser o responsável pelo fato, não prestou socorro às vítimas, um verdadeiro desrespeito com o próximo. O caso é mais um que demonstra a irresponsabilidade de muitas pessoas no trânsito, que “enchem a cara”, e saem colocando a própria vida e de outras pessoas em risco. A verdade é que: enquanto muitos não tomarem consciência que a vida é uma só e continuarem a dirigir depois de ter ingerido bebida alcoólica, infelizmente teremos que presenciar outros atos lamentáveis como esse. 

Jornal Gazeta Parintins - 20 de Agosto de 2012
______________________________________________________________________________

Mais uma vez, a falta de contingente na Delegacia de Parintins preocupa autoridades vinculadas à segurança do município. É fato, mais a cidade que abriga mais de cem mil habitantes enfrenta dificuldades com essas questões relacionadas à falta de pessoal para trabalhar no combate a criminalidade presente no cotidiano de Parintins. Enquanto isso, tráfico de armas, e droga, intercâmbio entre bandidos locais e da Capital vai se fortificando, e a polícia age de acordo com suas possibilidades.   Para o Delegado Ivo Cunha, somente um concurso público resolveria a situação, pois, há casos que deveriam ser resolvidas por um grupo maior de profissionais, e apenas um se vira, não nos trinta, mais nos 365 dias do ano!


Jornal Gazeta Parintins - 16 de Agosto de 2012
_________________________________________________________________________________

Está na hora das autoridades da Ilha chamarem a empresa Amazonas Energia para cumprir com a responsabilidade de expandir o fornecimento de energia de qualidade e façam as ligações de luz do Bairro da União.  Nesse impasse, clientes que pagam suas contas em dia e não tem nada a ver com o problema, pagam o pato. O certo é que com a situação que está, tanto morador do bairro que precisa da eletricidade e utiliza gatos e do Paulo Corrêa, sofrem com os prejuízos, e nesse período, são castigados pelo calor. Eles reclamam que mesmo após reivindicações, a direção da empresa não dar qualquer resposta à situação. Em desespero, eles dizem não saber mais o que fazer. Nessas horas Mauro Antony é lembrado.  


Jornal Gazeta Parintins - 13 de Agosto de 2012
___________________________________________________________________________

Foi anunciado pelo comando da PM para outubro o início das blitz na cidade contra os desabilitados e demais irregularidades no trânsito na Ilha. O trabalho não deixa de ser algo bom para a população, pois, é uma forma de tirar de circulação, irresponsáveis que muitas vezes desrespeitam a vida.  Porém, informações dão conta que o contingente de policiais em Parintins é pouco, e os casos de violência acontecem quase todos os dias para quem trabalha com um grupo limitado de pessoas não se tornaria complicado.  Já passou da hora de termos um posto do Detran na cidade para comandar essas questões no trânsito, assim, cada um faria seu trabalho e as coisas poderiam caminhar bem melhor.

Jornal Gazeta Parintins - 06 de Agosto de 2012
______________________________________________________________________

Semana passada durante uma vistoria no presídio público da cidade policiais encontraram vários objetos que poderiam ser utilizados pelos presidiários já que ultimamente acontecem situações envolvendo os mesmos.  Exemplo disso foi há duas semanas quando um detento ficou com um ferro apontado para o pescoço de um carcereiro por quase trinta minutos. Ainda bem que os PMs se adiantaram, e a ação com certeza impediu que coisas piores pudessem acontecer entre os presos. Porém, uma coisa é intrigante: como é que canivetes, tesouras, facas, celulares e até mesmo drogas foram parar dentro do local? Será que tudo isso é jogado por cima do muro mesmo?

Jornal Gazeta Parintins - 15 de Julho de 2012
_____________________________________________________________________________

 Não é possível que mesmo a partir de tantas reclamações de parintinenses enquanto a atuação do DETRAN em Parintins na semana que antecede o Festival Folclórico, o governo do estado não tome uma atitude e dê uma resposta a população. Sabemos que quando há vontade política tudo acontece, prova disso está na reabertura do aeroporto que aconteceu há poucos dias. Quem sabe se o governador chame pra si a responsabilidade e autorize a montagem de uma agência do Detram na Ilha e consiga que o aeroporto fique definitivamente aberto durante 24 horas. Quem sabe se Omar que sempre demonstrou afeto pelos Ilhéus, consiga esse feito que muito o parintinense almeja.

Jornal Gazeta Parintins - 28 de Junho de 2012

______________________________________________________________________________

Mais uma vez moradores das comunidades suburbanas de Parintins buscam os meios de comunicação para denunciar práticas irresponsáveis de algumas pessoas que se aproveitam da falta de fiscalização dos órgãos ambientais e estão exterminando animais da região de Macurany e Parananema. Além dos brutais ataques as aves selvagens, os caçadores roubam as criações dos moradores que muitas vezes são ameaçados de morte pelos depredadores. Moradores querem saber até quando esse absurdo vai continuar, já que eles afirmam terem registrado BOs contra os invasores que foram pegos roubando, mas infelizmente estão soltos.


Jornal Gazeta Parintins - 14 de Junho de 2012

______________________________________________________________________________

Mesmo sem o apoio necessário, os atletas parintinenses conseguiram chegar a Nhamundá onde esqueceram as dificuldades vividas, colocaram a força de vontade e o amor que têm por Parintins e se consagraram tetra campão do Polo III. Mas que manter hegemonia de Parintins na competição, esses guerreiros, mais uma vez mostram aos mandatários a verdadeira força dos parintintins. Agora, é esperar para ver quantos dos que deveriam ajudar, vão querer levantar a bandeira de herói. Como disse o professor Carlos Meireles: “um dia, nossos mandatários ainda vão respeitar esses atletas e passar a investir no esporte local, muito rico em talentos”.

Jornal Gazeta Parintins - 21 de Maio de 2012
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Com a proximidade do Festival Folclórico, começa os preparativos para o êxtase da festa que este ano acontece nos dias 29, 30 de junho e 1º de julho. Nesse período, a maioria dos órgãos do Governo do Estado se instalam nas secretarias, delegacias, hospitais, bancos, aeroporto e porto da cidade com seus aparatos e logísticas. E tudo funciona 24hs por dia e maravilhosamente bem, e assim, Parintins vive seus dias de cidade de primeiro mundo. Só tem um probleminha. Essa maquiagem não é definitiva, e a partir de 2 de julho, fica como diz o Delegado Ivo Cunha: “Tudo como Dante no Quartel de Abrante”, ou seja, tudo volta a estaca zero!

Jornal Gazeta Parintins - 19 de Abril de 2012.
___________________________________________________________________________

Com a proximidade das eleições, esquentam as brigas pelo poder no município. Situação e Oposição trocam acusações e se percebe uma nuvem turva e tempestuosa começando a se formar no seio da política parintinense, o que só trás malefícios para a cidade. Os “ADVERSÁRIOS”, estão simplesmente preocupados em ofender, ou destruir um ao outro, e acabam esquecendo de mostrar projetos que venham solucionar os problemas que ainda são muitos na Ilha.
Jornal Gazeta Parintins - 16 de Abril de 2012

4 comentários:

  1. kkk, show de bola essas pimentadas.

    ResponderExcluir
  2. Meu caro,

    Defenda seu ponto de vista. É constitucional. Mas não esqueça da lei. A escola, como qualquer entidade pública, faz parte do corpo do Estado de Direito, que é laico. Gostaria de saber se a diretora da escola promovesse uma batucada em homenagem a Oxaguiã, se seria invocado o direito dos outros. O pai tem razão. Lugar de rezar é na igreja ou na sua casa.

    ResponderExcluir
  3. Se queres que teu filho seja envangelizado leve-o a igreja! A escola e o Estado é laico! O direito dele é ser educado com plenitude! Isso é respeito!!! Dá licença, né?!

    ResponderExcluir
  4. ESSE PREFEITO PINOCHIO QUANDO ERA APRESENTADOR DE TV ,TINHA SOLUÇÃO PRA TUDO, E AGORA SABICHÃO? SÓ TEM LUZ EM TODOS OS BAIRROS POR QUE O PROMOTOR AMEAÇOU DE PRENDER ELE PELO ROUBO DO DINHEIRO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA.

    ResponderExcluir